Email: Senha: Esqueci a senha 

Leia no rodapé as condições de uso. Revoga-se toda e qualquer autorização divergente.


Tópico anterior Tópico atual Próximo tópico
Reação Vital Atlas de Patologia Geral Tecidos
abrir box

Índice
Atlas de Patologia Geral
Tecidos
Alterações Celulares
Alterações circulatórias
Inflamação e reparo
Alterações do crescimento celular  

 
 
   
Tecidos
2222

Tecidos == Tecido Ósseo ==

Tecido Ósseo
O TECIDO ÓSSEO
O tecido ósseo possui um alto grau de rigidez e resistência à pressão. Por isso, suas principais funções estão relacionadas à proteção e à sustentação. Também funciona como alavanca e apoio para os músculos, aumentando a coordenação e a força do movimento proporcionado pela contração do tecido muscular.
Os ossos ainda são grandes armazenadores de substâncias, sobretudo de íons de cálcio e fosfato. Com o envelhecimento, tecido adiposo também vai se acumulando dentro dos ossos longos, substituindo a medula vermelha que ali existia previamente.
A extrema rigidez do tecido ósseo é resultado da interação entre o componente orgânico e o componente mineral da matriz. A nutrição das células que se localizam dentro da matriz é feita por canais. No tecido ósseo, destacam-se estes tipos celulares típicos:
•        Osteócitos: os osteócitos estão localizados em cavidades ou lacunas dentro da matriz óssea. Destas lacunas formam-se canalículos que se dirigem para outras lacunas, tornando assim a difusão de nutrientes possível graças à comunicação entre os osteócitos. Os osteócitos têm um papel fundamental na manutenção da integridade da matriz óssea.
•        Osteoblastos: os osteoblastos sintetizam a parte orgânica da matriz óssea, composta por colágeno tipo I, glicoproteínas e proteoglicanas. Também concentram fosfato de cálcio, participando da mineralização da matriz. Durante a alta atividade sintética, os osteoblastos destacam-se por apresentar muita basofilia. Possuem sistema de comunicação intercelular semelhante ao existente entre os osteócitos. Os osteócitos inclusive originam-se de osteoblastos, quando estes são envolvidos completamente por matriz óssea. Então, sua síntese protéica diminui e o seu citoplasma torna-se menos basófilo.
•        Osteoclastos: os osteoclastos participam dos processos de absorção e remodelação do tecido ósseo. São células gigantes e multinucleadas, extensamente ramificadas, derivadas da fusão de monócitos que atravessam os capilares sangüíneos. Nos osteoclastos jovens, o citoplasma apresenta uma leve basofilia que vai progressivamente diminuindo com o amadurecimento da célula, até que o citoplasma finalmente se torna acidófilo. Dilatações dos osteoclastos, através da sua ação enzimática, escavam a matriz óssea, formando depressões conhecidas como lacunas de Howship.
•        Matriz óssea: a matriz óssea é composta por uma parte orgânica (já mencionada anteriormente) e uma parte inorgânica cuja composição é dada basicamente por íons fosfato e cálcio formando cristais de hidroxiapatita. A matriz orgânica, quando o osso se apresenta descalcificado, cora-se com os corantes específicos do colágeno (pois ela é composta por 95% de colágeno tipo I).
Existem classificações para o tecido ósseo baseadas no seu aspecto morfológico e anatômico. Portanto, os ossos podem ser classificados em: chatos, longos, curtos, esponjosos e compactos. Também existem os ossos pneumáticos, que conservam grande quantidade de ar no seu interior.
Já a classificação baseada no critério histológico admite apenas duas variantes de tecido ósseo: o tecido ósseo primário e o tecido ósseo secundário, também chamado de tecido ósseo haversiano ou lacunar.

Tecidos == Fibras ==

Fibras
AS FIBRAS
As fibras são constituintes do tecido conjuntivo responsáveis, em grande parte, pelas diferentes características dos diferentes tipos de tecido conjuntivo.
Existem três tipos de fibras: as fibras colágenas, as fibras elásticas e as fibras reticulares.
FIBRAS COLÁGENAS
O colágeno é a proteína formadora das fibras colágenas. Essa é uma escleroproteína constituída de duas moléculas de tropocolágeno, que se alinham para formar a fibrila de colágeno. Várias fibrilas unidas formam uma fibra colágena e várias fibras formam um feixe de fibras colágenas.
Existem vários tipos de colágenos, dos quais quatro são os mais importantes. São eles:
•        Colágeno tipo 1: o colágeno tipo 1 é o mais comum, aparece nos tendões (lâmina 95), na cartilagem fibrosa (lâmina 15), no tecido conjuntivo frouxo comum, no tecido conjuntivo denso (onde é predominante sobre os outros tipos), sempre formando fibras e feixes.
•        Colágeno tipo 2: produzido por condrócitos, aparece na cartilagem hialina (lâmina 14) e na cartilagem elástica (lâmina 12). Não produz feixes.
•        Colágeno tipo 3: constitui as fibras reticulares.
•        Colágeno tipo 4: o colágeno tipo 4 aparece na lâmina basal, um dos componentes da membrana basal dos epitélios (ver início do texto O Tecido Epitelial de Revestimento).
FIBRAS ELÁSTICAS
As fibras elásticas são formadas por uma proteína chamada elastina. Elas costumam ocorrer em lugares como o pavilhão auditivo, o conduto auditivo externo, a trompa de Eustáquio, a epiglote, a cartilagem cuneiforme da laringe e nas artérias elásticas. Normalmente têm uma coloração amarelada.
A elastina se caracteriza por formar fibras mais finas que aquelas formadas pelo colágeno. Essas fibras cedem bastante à tração, mas retornam à forma original quando é cessada a força. Essa propriedade é responsável pela manutenção da pressão sangüínea nos períodos de diástole do ventrículo esquerdo, ou seja, quando o sangue não está saindo do coração. As fibras elásticas não se coram bem com HE, sendo preciso recorrer a outros métodos, como a Fucsina-Resorcina e a orceína.
FIBRAS RETICULARES
As fibras reticulares são formadas de colágeno tipo 3. Assim como as elásticas, as fibras reticulares não se coram bem com HE. Para a sua visualização utilizamos a técnica DRH (Del Rio Hortega), que as cora de preto ou castanho-escuro.

Tecidos == Tecido Cartilaginoso ==

Tecido Cartilaginoso
AS CARTILAGENS
O tecido cartilaginoso, ou cartilagem, é um tipo de tecido conjutivo cuja rigidez é intermediária entre a do tecido ósseo e a do tecido conjuntivo denso. A cartilagem não se dobra e é encontrada em poucos locais no corpo humano como, por exemplo, os anéis da traquéia , partes da laringe, septo nasal, e os locais de junção das porções anteriores das costelas com o esterno. Nas articulações do tipo poliaxial, que permitem grande liberdade de movimento, a cartilagem está presente cobrindo a superfície do osso, onde recebe o nome de cartilagem articular. Essa cobertura diminui o atrito entre as superfícies e, por conseqüência, permite maior facilidade de movimento.
A maior parte do tecido cartilaginoso que surge na vida pré-natal é substituída por tecido ósseo. No entanto, uma pequena quantidade de cartilagem permanece nas extremidades dos ossos, permitindo o seu crescimento longitudinal. Estas estruturas são denominadas discos epifisários.
Distinguem-se três tipos de cartilgem: hialina (lâmina 14), elástica e fibrosa . Entretanto, com poucas diferenças, todos os três tipos são formados basicamente pelos mesmos constituintes.
As cartilagem são fundamentalmente formadas por grupos de células, denominados condrócitos, que ficam imersos em substância intercelular amorfa, constituída por proteoglicanas (proteínas + glicosaminoglicanas), colágeno e elastina, esta última presente somente na cartilagem elástica.
O papel das proteoglicanas consiste em dar rigidez à cartilagem, pois estabelecem-se ligações eletrostáticas entre as glicosaminoglicanas das proteoglicanas e as moléculas de colágeno. A matriz amorfa contém muitas moléculas de água, que estão intimamente associadas às glicosaminoglicanas (água de solvatação). Os condrócitos sintetizam as proteoglicanas e mantêm a matriz em seu estado normal.
Este tipo de tecido não é vascularizado por capilares, obtendo seus nutrientes a partir do conjuntivo que o envolve ou a partir do líquido sinovial, no caso das cartillagens articulares. Os nutrientes difundem-se pela água de solvatação.

Tecidos == Vasos - Artérias e Veias ==

Vasos - Artérias e Veias
VASOS: ARTÉRIAS E VEIAS
Convencionou-se chamar artéria todo vaso que leva sangue do coração ao resto do organismo; e veia, todo vaso que leva o sangue do resto do corpo ao coração. Artérias de pequeno calibre são chamadas arteríolas e veias de pequeno calibre, vênulas. Ainda menores que arteríolas e veias, existem os capilares, que se relacionam mais intimamente com os tecidos, realizando a troca de gases, nutrientes e metabólitos.
A parede dos vasos é dividida em três camadas:
•        Túnica Interna (ou Íntima): encontra-se forrando o vaso internamente, em contato com o sangue circulante. Na parte mais interna da túnica interna, encontramos o revestimento endotelial dos vasos. O restante da túnica é constituído de tecido conjuntivo frouxo e algumas poucas células musculares. Nas artérias, dividindo a túnica interna e a média, existe uma membrana chamada limitante elástica interna. O limite da túnica interna com a luz do vaso, apresenta-se nas lâminas bastante ondulado, devido à contração dos vasos por ocasião da morte do animal.
•        Túnica Média: a túnica média é formada basicamente por células musculares lisas, envoltas por colágeno e elastina. Nas artérias existe uma membrana separando a túnica média e a externa (adventícia), a membrana limitante elástica externa.
•        Túnica Adventícia: na túnica adventícia há grande quantidade de fibras colágenas e elásticas. Essas fibras penetram no tecido conjuntivo adjacente, tornando o limite externo do vaso não muito definido.


ARTÉRIAS

•        Artérias de Grande Caibre: artérias de grande calibre geralmente são artérias elásticas. Elas tem grande importância no controle da pressão arterial, pois não deixam que a pressão abaixe no período de diástole do ventrículo esquerdo. As artérias elásticas se caracterizam por ter uma túnica interna bem desenvolvida, com grande quantidade de fibras elásticas. Na túnica média, é pequeno o número de células musculares lisas e também há bastante substância elástica. A camada adventícia é pouco desenvolvida.
•        Artéria de Médio Calibre: geralmente, são artérias musculares, que apresentam túnica média bastente desenvolvida. Também estão presentes fibras elásticas, cuja presença vai aumentado com o calibre da artéria até que seja considerada uma artéria elástica e não mais muscular.
•        Arteríolas: possuem mais ou menos a mesma estrutura das artéria de médio calibre, mas geralmente as membranas limitantes elásticas interna e externa estão ausentes. Também a túnica adventícia é pouco desenvolvida.
•        Lâmina 89 - ARTÉRIA E VEIA HE
•        Lâmina 90 - ARTÉRIA ELÁSTICA Orceína
•        Lâmina 99 - CORDÃO UMBILICAL


VEIAS

•        Veias de Grande Calibre: as veias de grande calibre costumam apresentar túnica interna bastante desenvolvida, de onde costumam sair as válvulas, responsáveis pelo direcionamento do sangue ao coração. A túnica média é muito pouco desenvolvida, apresentando pouco tecido muscular. Já a adventícia é muito desenvolvida. Nela, costumam aparecer os vasa vasorum, pequenos vasos que levam nutrientes à túnica adventícia e à parte mais externa da túnica média. Os vasa vaosrum também ocorrem nas artérias, mas em menor quantidade, devido ao melhor potencial nutricional do sangue arterial que por elas circula. Além disso, nas artérias, os vasa vasorum têm abrangência restrita à adventícia. As outras túnicas recebem nutrientes por difusão.
•        Veias de Médio Calibre: as veias de médio calibre caracterizam-se por uma túnica adventícia mais desenvolvida que as demais camadas.
•        Vênulas: nas vênulas, a túnica íntima é formada apenas pelo endotélio. A túnica média pode ser inexistente ou muito pouco desenvolvida. A camada adventícia é a mais desenvolvida e participa na troca de gases e metabólitos entre o sangue e os tecidos.
•        Lâmina 89 - ARTÉRIA E VEIA HE
•        Lâmina 90 - ARTÉRIA ELÁSTICA Orceína
•        Lâmina 99 - CORDÃO UMBILICAL


CAPILARES

Os capilares são vasos extremamente finos que participam ativamente nas trocas de gases e diversas outras substâncias entre o sangue e os tecidos. Diferentemente das artéria e das veias, não são formados de três túnicas, mas apenas de uma única camada endotelial cuja parede tem apenas duas ou três células. Observam-se três tipos de capilares:
•        Capilares Contínuos: quando a parede endotelial do capilar é contínua.
•        Capilares Fenestrados: quando as paredes das células do endotélio não estão sempre unidas, aparecendo espaços vazios, responsáveis pela grande comunicação entre o sangue e os tecidos, nesse tipo de endotélio.
•        Sinusóides: encontram-se no fígado (ao longo dos cordões de hepatócitos), no tecido hemopoético e no endométrio (próximo ao local de implantação do embrião). Caracterizam-se por seguir um percurso sinuoso, com um calibre um pouco maior que o dos outros capilares. Também sua parede não é contínua, contendo grande quantidade de poros.
•        Lâmina 45 - FÍGADO DE PORCO HE
•        Lâmina 46 - FÍGADO DE COELHO inj. vasc. HE


Tecidos == Tecido Conjuntivo ==

Tecido Conjuntivo
1. Faça um estudo comparativo entre o tecido ósseo , o cartilaginoso e o denso não modelado levando em consideração os três elementos que caracterizam qualquer tecido conjuntivo : as células , as fibras e a substância fundamental amorfa :
2. Como se organizam os tecidos adiposo branco e adiposo escuro , e quais as suas semelhanças e diferenças morfológicas e funcionais ?
3. Faça um esquema mostrando a relação entre todos os tipos de células do conjuntivo propriamente dito e dos conjuntivos especiais , colocando no esquema as características principais de cada tipo celular considerado :
4. Discuta e explique a relação morfo - funcional entre o tecido conjuntivo e o epitelial , bem como a estrutura e funções da membrana basal :

1 . Tecido ósseo : tipo especializado de tecido conjuntivo altamente vascularizado , formado por células e material intercelular calcificado , a matriz óssea .
Células :
- osteogênicas : osteoprogenitoras , presentes em todas as superfícies ósseas não reabsortivas , capazes de se auto - renovarem e de originarem osteoblastos ( em regiões bem vascularizadas ) e condroblastos ( em regiões avasculares ) quando estimuladas
- osteoblastos : responsáveis pela síntese e secreção da parte orgânica da matriz óssea , além de estarem envolvidas no processo de calcificação da matriz
- osteócitos : representam o estágio final da maturação da linhagem celular óssea
- osteoclastos : reabsorvem o excesso de matriz óssea , participam na remodelação , reparo e remoção da matriz mal constituída ou fragmentada .
Matriz óssea :
- parte inorgânica : íons mais encontrados são o fosfato e o cálcio , mas há também bicarbonato , magnésio , potássio , sódio e citrato em pequenas quantidades
- parte orgânica : formada por fibrilas de colágeno ( principalmente do tipo I , mas também com pequenas quantidades do tipo V ) e por pequena quantidade de substância fundamental amorfa , composta por glicosaminoglicanas , glicoproteínas , osteonectina ( fixa o mineral ósseo ao colágeno ) e osteocalcina ( proteína de ligação do cálcio ) .
Tecido cartilaginoso : tecido conjuntivo especializado de sustentação , semi - rígido e levemente flexível , avascular . Composto por células , fibras e matriz intercelular , reconhece - se três tipos de cartilagem : cartilagem hialina , cartilagem elástica e fibrocartilagem .
Células :
- condroblastos : responsáveis pela síntese de matriz cartilaginosa e pelo crescimento aposicional
- condrócitos : condroblastos sepultados na matriz cartilaginosa , capazes de se dividir , responsáveis pelo crescimento intersticial .
Matriz cartilaginosa :
- principal constituinte macromolecular : proteoglicana
- presença de determinadas proteínas e glicoproteínas
- reforçada por fibrilas de colágeno do tipo II
- grande quantidade de líquido intersticial , facilitando a difusão de oxigênio e nutrientes a partir de capilares situados fora da cartilagem .
Cartilagem hialina :
- possui fibrilas de colágeno tipo II
- forma mais comum
- dá origem ao esqueleto e forma o disco epifisário para o crescimento dos ossos longos , além de atuar como tecido de sustentação nas vias respiratórias
Cartilagem elástica :
- além de finas fibrilas de colágeno tipo II , possui também fibras elásticas
- camada fibrosa do pericôndrio persiste
- resiste a flexões repetidas
- ocorrência : epiglote e orelha externa
Fibrocartilagem :
- feixes de fibras de colágeno paralelos e proeminentes
- não possui pericôndrio na vida adulta
- resiste ao estiramento sob extrema tensão
- ocorrência : inserções tendíneas , sínfise púbica , discos invertebrais e meniscos .
Tecido conjuntivo denso não modelado :
- tipo específico de tecido conjuntivo denso
- possui menos células que o tecido conjuntivo frouxo e é menos vascularizado
- possui abundante quantidade de fibras colágenas
- os feixes de fibras colágenas não são paralelos , mas sim , orientados em vários planos
- resistente a tensões exercidas em várias direções
- ocorrência : revestimento fibroso protetor de ossos e cartilagens , parte mais interna da pele , elementos de sustentação das glândulas e órgãos , valvas do sistema circulatório e envoltórios fibrosos resistentes do coração , cérebro , medula espinhal , nervos e músculos esqueléticos .

2 . O tecido adiposo branco ( ou amarelo ) é encontrado de forma mais distribuída , constitui a principal reserva de energia do corpo a longo prazo , além de funcionar como isolante evitando a perda de calor e como " amortecedor " acolchoando certas partes do corpo . As células são grandes , contêm o pigmento lipossolúvel caroteno , as mitocôndrias desempenham papel fundamental no fornecimento de energia para a manutenção do elevado índice de atividade metabólica e os lipídios são armazenados como uma grande gotícula única central .
O tecido adiposo escuro ( ou pardo ) distribui - se de forma mais escassa e é responsável pelo fornecimento de calor corporal , extremamente importante para recém - nascidos e para mamíferos hibernantes . É um tecido rico em suprimento sangüíneo capilar . Suas células são relativamente pequenas , contêm enzimas coloridas ( citocromos ) , as mitocôndrias são maiores e mais numerosas e os lipídios são armazenados sob a forma de múltiplas gotículas .

3 . Tecido conjuntivo propriamente dito :
Células :
- fibroblasto : célula com prolongamentos citoplasmáticos irregulares ; núcleo grande , de forma ovóide com nucléolo evidente . Citoplasma rico em Retículo Endoplasmático Rugoso e com Complexo de Golgi desenvolvido . Responsável pela formação das fibras e do material intercelular amorfo .
- fibrócito : célula levemente fusiforme , menor do que o fibroblasto , seu núcleo é alongado e menor . Citoplasma com deficiência em R. E. R. e em Complexo de Golgi . Sintetiza colágeno e proteoglicanas da substância fundamental amorfa .
- macrófago : morfologia variável de acordo com a localização e o estado funcional da célula . Podem ser fixos ou móveis , representando fases diversas do mesmo tipo celular , sendo que uma forma pode se transformar em outra . Os fixos são fusiformes ou estrelados , com núcleo ovóide e cromatina condensada . Os móveis apresentam formas variadas devido à sua movimentação por pseudópodos , possuem núcleo com cromatina condensada e geralmente em forma de rim . Os macrófagos atuam como elementos de defesa , possuem grande capacidade de pinocitose e de fagocitose , fagocitam restos de células , material intercelular alterado , bactérias e partículas inertes que penetram no organismo .
- mastócito : célula globosa e grande , sem prolongamentos e com o citoplasma carregado de grânulos . O núcleo é esférico e central , podendo estar recoberto pelos grânulos citoplasmáticos . Responsável pelas reações alérgicas ao liberar mediadores químicos armazenados .
- plasmócito : célula ovóide , com núcleo esférico normalmente localizado em posição excêntrica e com aspecto de roda devido à disposição da cromatina . O citoplasma é rico em R. E. R. , o Complexo de Golgi e o centro celular ficam ao lado do núcleo . Aparece em grande quantidade nas áreas onde existe inflamação crônica . Responsável pela síntese dos anticorpos circulantes encontrados no sangue .
Tecidos conjuntivos especiais :
Tecido Adiposo :
Células :
- adipócito : são caracterizados pelo armazenamento intracelular de gordura . Há dois tipos de tecido armazenador de gordura : o tecido adiposo unilocular e o multilocular . O unilocular é originado do mesênquima , com a formação de células fusiformes ( lipoblastos ) contendo pequenas vesículas de gordura . Uma grande gotícula central é formada , sendo circundada por uma margem fina de citoplasma com o núcleo achatado . Os adipócitos apresentam abundante retículo endoplasmático liso e numerosas vesículas de pinocitose envolvidas na biossíntese e no transporte de lipídios , além de ribossomos livres , retículo endoplasmático rugoso , uma região de Golgi e mitocôndrias proeminentes . Às vezes algum glicogênio armazenado está presente nestas células . Cada célula é circundada por uma lâmina externa e há uma matriz extracelular composta por fibras reticulares . O tecido adiposo multilocular tem como função metabolizar a gordura para produzir calor , sendo mais evidente nos recém - nascidos nos humanos e em animais hibernantes . Os lipídios são armazenados sob a forma de gotículas múltiplas . As células contêm grande quantidade de mitocôndrias ( maiores e mais numerosas , se compararmos com as células uniloculares ) , além de vacúolos lipídicos .
Tecido Cartilaginoso :
Células :
- condroblasto : originados do mesênquima , apresentam grande quantidade de retículo endoplasmático rugoso , sintetizando ativamente proteínas da matriz extracelular , além de lipídios e glicogênio em abundância .
- condrócito : depois de depositar matriz cartilaginosa , os condroblastos se tornam menos ativos metabolicamente e apresentam pequenos núcleos com citoplasma claro e pouco definido , isto é , transformaram - se em condrócitos .
Tecido Ósseo :
Células :
- célula osteoprogenitora : pequena , fusiforme , presente em todas as superfícies reabsorventes do osso vivo , também são um componente do tecido da medula óssea , originam osteoblastos e condroblastos .
- osteoblasto : célula grande , sem capacidade de se dividir , varia de redonda a poligonal , possui prolongamentos citoplasmáticos . Geralmente apresenta núcleo excêntrico e possui grande quantidade de retículo endoplasmático rugoso . Elabora o osteóide , uma matriz de sustentação do osso .
- osteócito : menor , possui quantidade suficiente de retículo endoplasmático rugoso e uma região de Golgi grande o bastante . Localiza - se em lacuna e apresenta numerosos prolongamentos citoplasmáticos interconectantes . São responsáveis pela manutenção da matriz óssea .
- osteoclasto : célula multinucleada que não se divide e se move ao longo das superfícies ósseas , reabsorvendo a matriz óssea dos locais onde está se deteriorando ou não é necessária .
Células do sangue :
Células vermelhas : eritrócitos , são as mais comuns das células sangüíneas , são responsáveis pelo transporte de O2 dos pulmões para os tecidos periféricos . Têm o formato de um disco bicôncavo , maximizando assim a proporção entre a área superficial e o volume e , conseqüentemente , maximizando a troca de O2 . O citoplasma de eritrócitos maduros apresenta praticamente somente hemoglobina .
Células brancas : leucócitos . possuem um papel defensivo , destruindo organismos infectantes como bactérias e vírus , além de auxiliarem na remoção de tecidos mortos ou lesados . Podem ser granulócitos ( três tipos ) ou agranulócitos ( dois tipos ):
A) granulócitos :
- neutrófilo : polimorfonucleares , possui núcleo segmentado em dois a cinco lobos interligados por finos filamentos de cromatina . O citoplasma possui algumas mitocôndrias e um pequeno complexo de Golgi , além de apresentar dois tipos de grânulos diferentes , os grânulos azurófilos e os específicos . Os neutrófilos desempenham um papel fundamental na reação inflamatória aguda .
- eosinófilo : levemente maior que o neutrófilo , possui núcleo bilobulado . O citoplasma contém mitocôndrias e complexo de Golgi , além de grânulos altamente específico . Os eosinófilos estão envolvidos na reação de hipersensibilidade imediata , tendo um papel de regulação da reação inflamatória alérgica .
- basófilo : núcleo geralmente bilobulado muitas vezes obscurecidos pelos abundantes grânulos do citoplasma . Os basófilos estão diretamente envolvidos nas respostas alérgicas sistêmicas , uma vez que seus grânulos contêm histamina e glicosaminoglicana sulfatada .
B) agranulócitos :
- linfócito : presentes também na linfa , podem ser de dois tamanhos : os pequenos e os grandes linfócitos . Os pequenos apresentam núcleo esférico e grande quantidade de ribossomos ; podem ser linfócitos B ( medula óssea vermelha ) ou linfócitos T ( timo ) , ambos tendo papel na resposta imune . Os grandes linfócitos apresentam núcleo maior e arredondado , o citoplasma possui grande quantidade de ribossomos livres , mitocôndrias , retículo endoplasmático granular e complexo de Golgi .
- monócito : maior tipo de leucócito . O núcleo varia desde uma forma ovóide até em forma de ferradura . O citoplasma apresenta ribossomos livres , complexo de Golgi , lisossomos dispersos e pequena quantidade de retículo endoplasmático rugoso . Podem transformar - se em macrófagos ao entrarem nos tecidos ou então podem fundir - se e originar osteoclastos ou células gigantes do tipo corpo estranho .

4 . A membrana basal é uma camada especializada de materiais da matriz intracelular , contém colágeno ( sintetizado pelas células epiteliais ) e permite uma adesão flexível das células epiteliais aos tecidos de sustentação subjacentes . O tecido conjuntivo subjacente é responsável pela nutrição e sustentação do tecido epitelial , uma vez que esse é avascular .

Referências Bibliográficas :
CORMACK , David H. . FUNDAMENTOS DE HISTOLOGIA . Ed. Guanabara Koogan , RJ , 1996 . 341 p.
CORMACK , David H . HAM HISTOLOGIA . 9ª edição . Ed. Guanabara Koogan , RJ , 1991 . 570 p .
JUNQUEIRA , L. C. ; CARNEIRO , José . HISTOLOGIA BÁSICA . 9ª edição . Ed. Guanabara Koogan , RJ ,
1999 . 427 p.
STEVENS , Alan ; LOWE , James . HISTOLOGIA . 1ª edição . Ed. Manole Ltda. , SP , 1995 . 378 p.

Tecidos == Tecido Glândular ==

Tecido Glândular
Nova pagina 1

AS GLÂNDULAS: TECIDO EPITELIAL GLANDULAR

Os epitélios glandulares, formadores das glândulas, são células especializadas na secreção de produtos que geralmente ficam armazenados em grânulos citoplasmáticos, cuja composição é variável. Existem diversas formas de classificação dos epitélios de secreção, que levam em consideração inúmeros aspectos, como, por exemplo, a quantidade de células, a morfologia do epitélio e o modo como os produtos de secreção são eliminados.

De acordo com a presença ou não de ductos excretores, os epitélios glandulares podem ser classificados em:

 

 


 

GLÂNDULAS EXÓCRINAS

 


 

As glândulas exócrinas possuem diversas formas de classificação. Citaremos aqui algumas delas.

 

Classificação quanto à ramificação do ducto:

·  Glândulas simples: possuem apenas um ducto secretor não ramificado. Ex.: glândulas de Lieberkühn, encontradas no duodeno, no jejuno, no íleo e no intestino grosso; glândulas sudoríparas, encontradas na pele.

 

·  Glândulas compostas: possuem um sistema de ductos ramificados que permite a conexão de várias unidades secretoras com um ducto. Ex.: glândula mamária e glândulas de Brunner, encontradas no duodeno.


Classificação quanto a forma de unidade secretora:

·  Glândulas tubulares: a unidade secretora possui a forma de um ducto. Ex.: glândulas de Lieberkühn, encontradas no duodeno, no jejuno, no íleo e no intestino grosso; glândulas sudoríparas, encontradas na pele; glândulas fúndicas, encontradas no estômago; glândulas esofágicas, encontradas no esôfago; glândulas cárdicas, no estômago e no esôfago.

·  Glândulas acinares ou alveolares: a unidade secretora possui um aspecto mais arredondado. Apesar de modernamente os dois termos designarem o mesmo tipo de glândula, por uma questão de tradição o epitélio exócrino do pâncreas é exclusivamente denominado epitélio exócrino acinar. Ex.: glândulas sebáceas, encontradas na pele e ácinos serosos do pâncreas.

·  Glândulas tubuloalveolares: são glândulas que possuem os dois tipos de unidades secretoras, tubulares e alveolares. Ex.: glândula mamária e glândula submandibular.


Classificação quanto ao tipo de substância secretada:

·  Glândulas mucosas: produzem uma secreção viscosa e escorregadia, que não se cora pelo HE. Ex.: glândula sublingual, que é mista, predominantemente mucosa.

·  Glândulas serosas: produzem uma secreção aquosa e límpida que se cora em vermelho pelo HE. Ex.: ácinos serosos do pâncreas, glândula parótida e glândula submandibular (esta última, mista, de células acinares predominantemente serosas).

·  Glândulas mistas: secretam os dois tipos de secreção mencionados acima, pois possuem os dois tipos de ácinos (mucoso e seroso) ou porque possuem um terceiro tipo, que contém componente mucoso e componente seroso (capacete de Gianuzzi). Ex.: fígado, glândula submandibular (com preomínio de ácinos serosos) e glândula sublingual (com predomínio de ácinos mucosos).


Classificação quanto ao modo como a substância é liberada:

·  Glândulas merócrinas: o produto de secreção é liberado através da membrana por intermédio de vacúolos, sem a perda do citoplasma. Ex.: ácinos serosos do pâncreas e células caliciformes, encontradas em todo o intestino e na traquéia.

·  Glândulas holócrinas: a célula secretora morre e torna-se o próprio produto de secreção da glândula. O citoplasma inteiro é convertido em secreção. Ex.: glândulas sebáceas.

·  Glândulas apócrinas: o conceito de secreção apócrina foi desenvolvido quando o recurso do microscópio eletrônico ainda não estava disponível. Achava-se que determinadas glândulas perdiam parte do seu citoplasma durante a secreção. Estas glândulas seriam denominadas apócrinas. Contudo, o ME provou que esta perda de citoplasma é mínima. A conclusão é que estas glândulas apócrinas seriam realmente glândulas merócrinas. Entretanto, em muitos livros aquele conceito ainda pode ser encontrado. Ex.: glândulas sudoríparas de certas partes do corpo.

 


 

GLÂNDULAS ENDÓCRINAS

 


 

·  Glândulas cordonais: as células dispõem-se em cordões maciços anastomóticos separados por capilares sangüíneos. Não há armazenamento de secreção. Ex.: paratireóide, hipófise, ilhotas de Langerhans do pâncreas.

 

·  Glândulas vesiculares: as células agrupam-se formando vesículas, que armazenam os produtos secretados antes de eles atingirem a corrente sangüínea. Ex.: tireóide.

 


Tecidos == Tecido Muscular ==

Tecido Muscular
1. Compare a disposição de organelas celulares e fibrilas contráteis na célula muscular lisa , estriada esquelética e estriada cardíaca :
2. Compare a organização das células na formação dos três tipos de tecido muscular :
3. Descreva , compare e discuta os processos de controle e estímulo da contração muscular para cada tipo de tecido muscular :

1. Célula muscular lisa : fusiforme , possui apenas um núcleo central, alongado ou elíptico . Seu citoplasma apresenta mitocôndrias , cisternas de Golgi e glicogênio , pequena quantidade de Retículo Endoplasmático Rugoso e de retículo sarcoplasmático . A membrana celular apresenta inúmeras invaginações e cada célula é circundada por uma lâmina externa . É caracterizada por um arranjo onde os feixes de proteínas contráteis cruzam a célula e se inserem em pontos de ancoragem , as zonas densas focais . Filamentos finos de actina estão associados à tropomiosina , os filamentos espessos são compostos por miosina .
Célula muscular estriada esquelética : de forma cilíndrica , possui muitos núcleos ovóides e alongados , localizados imediatamente abaixo da membrana celular . Seu citoplasma contém numerosas mitocôndrias e glicogênio em abundância para fornecer energia . A célula contém fibrilas ( miofibrilas ) orientadas longitudinalmente , compostas pela sobreposição e agregação repetitiva de filamentos espessos ( principalmente miosina , de um tipo diferente da encontrada no músculo liso ) e delgados ( principalmente actina , associados à tropomiosina e à troponina ) . Os sarcômeros são segmentos curtos das miofibrilas situados em linhas Z consecutivas e constituem as unidades contráteis dos músculos estriados .
Célula muscular estriada cardíaca : possui um ou dois núcleos centrais . Numerosas e grandes mitocôndrias , grânulos de glicogênio , pilhas de cisternas de Golgi , gotículas de lipídios e depósitos de pigmento lipofucsina estão presentes nos pólos dos núcleos . Além disso , o citoplasma apresenta grânulos atriais que reservam um hormônio envolvido na regulação da pressão arterial . O retículo sarcoplasmático não é muito desenvolvido . As fibras musculares cardíacas apresentam o mesmo padrão de estriação que as fibras musculares esqueléticas . Suas fibras são ramificadas e compostas por células unidas extremidade a extremidade por junções celulares . Os espaços entre as fibras contêm endomísio , que traz capilares e vasos linfáticos próximos às fibras musculares .

2. Tecido muscular liso : as camadas musculares consistem de feixes de fibras musculares anastomosadas , sendo que cada feixe é revestido por uma bainha de tecido conjuntivo que o supre de capilares e fibras nervosas .
Tecido muscular estriado esquelético : cada fibra muscular ( célula ) é envolvida por endomísio . Muitas vezes , as fibras cobrem toda a extensão do músculo ; outras , elas não são tão longas quanto o músculo , e sua tração tem de ser transmitida pelo tecido conjuntivo endomisial .
Tecido muscular estriado cardíaco : as células musculares cardíacas se alinham em cadeias longas e ramificadas , e desenvolvem junções celulares , as quais ancoram cada célula às suas vizinhas .

3. Músculo estriado esquelético : a contração se dá basicamente pelo deslizamento dos filamentos de actina sobre os filamentos de miosina . O deslizamento é dirigido pelas cabeças das moléculas de miosina , as quais se ligam à actina e " caminham " sobre o filamento de actina numa seqüência de movimentos de ligação e liberação que recebem energia da hidrólise do ATP . O controle da contração é realizado por proteínas que se ligam à actina e que impedem a contração muscular pelo bloqueio da interação entre a miosina e actina . Isto pode ser revertido pela concentração elevada de íons de Ca++ no citoplasma celular .
Músculo estriado cardíaco : a contração muscular segue praticamente os mesmos passos da contração no músculo estriado esquelético , com algumas diferenças :
- os túbulos T são mais largos que os do músculo esquelético ;
- retículo sarcoplasmático menor ;
- as células musculares cardíacas possuem reservas intracelulares de íons cálcio mais limitada ;
- tanto o cálcio intracelular quanto o extracelular estão envolvidos na contração cardíaca : o influxo de cálcio externo age como desencadeador da liberação do cálcio armazenado na luz do retículo sarcoplasmático , provocando a contração ao atingir as miofibrilas e levando ao relaxamento ao serem bombeados de volta para o retículo .
Músculo liso : embora a contração do músculo liso também seja regulada pela concentração intracelular de íons cálcio , a resposta da célula é diferente da dos músculos estriados . Quando há uma excitação da membrana , os íons cálcio armazenados no retículo sarcoplasmático são então liberados para o citoplasma e se ligam a uma proteína , a calmodulina , . Esse complexo ativa uma enzima que fosforila a miosina e permite que ela se ligue à actina . A actina e a miosina interagem então praticamente da mesma forma que nos músculos estriados , resultando então na contração muscular .

Referências Bibliográficas :

CORMACK , David H. . FUNDAMENTOS DE HISTOLOGIA . Ed. Guanabara Koogan , RJ , 1996 . 341 p.
CORMACK , David H . HAM HISTOLOGIA . 9ª edição . Ed. Guanabara Koogan , RJ , 1991 . 570 p .
JUNQUEIRA , L. C. ; CARNEIRO , José . HISTOLOGIA BÁSICA . 9ª edição . Ed. Guanabara Koogan , RJ ,
1999 . 427 p.
STEVENS , Alan ; LOWE , James . HISTOLOGIA . 1ª edição . Ed. Manole Ltda. , SP , 1995 . 378 p.

Tecidos == Tecido Nervoso ==

Tecido Nervoso
TECIDO NERVOSO
1. Os neurônios motores são neurônios multipolares , ou seja , apresentam muitos processos dendríticos . Possuem um grande corpo celular , oferecendo assim um suporte metabólico para o grande axônio . Controlam órgãos efetores , tais como glândulas exócrinas e endócrinas e fibras musculares .
Axônios motores destinados a inervar o músculo esquelético entram no endomísio como ramificações nervosas e se dividem para inervar várias fibras , formando assim uma placa motora terminal , a qual controla a contração do músculo esquelético .
A ativação do neurônio motor causa a liberação de acetilcolina por exocitose , que se difunde através do intervalo entre o axônio e a fibra muscular e interage com os receptores específicos da membrana , causando a despolarização da fibra muscular , iniciando assim a contração . Além das fibras nervosas que controlam os movimentos voluntários , axônios motores especializados inervam as fibras musculares no fuso neuromuscular .
2. O sistema nervoso central apresenta células da neuróglia , ou glia , ao lado dos neurônios , com funções metabólica e estrutural . Distinguem - se na neuróglia os seguintes tipos celulares :
- astrócitos : função de sustentação e regulação do ambiente celular do sistema nervoso central , auxiliando na manutenção da barreira hematencefálica , além de terem função de cicatrização do sistema nervoso central . Distinguem - se em astrócitos fibrosos e protoplasmáticos .
- oligodendrócitos : responsáveis pela produção de mielina no sistema nervoso central .
- micróglia : pequenas células distribuídas uniformemente pelas substâncias branca e cinzenta , fazem parte do sistema mononuclear fagocitário , transformando - se em macrófagos em resposta a lesões do sistema nervoso central .
- células ependimárias : constituem um epitélio de revestimento simples , revestindo cavidades do encéfalo e da medula .
3. Os nervos são agrupamentos em feixe de fibras nervosas no sistema nervoso periférico . Podem ser cranianos , emergindo do encéfalo e passando por pequenos canais do crânio , ou espinhais , emergindo da medula espinhal através de forames intervertebrais . Os nervos estabelecem comunicação entre os centros nervosos e os órgãos de sensibilidade e os efetores .
Gânglios nervosos são como pequenos nódulos arredondados que contêm corpos celulares de neurônios juntamente com suas células de sustentação . Localizados no sistema nervoso periférico , podem ser divididos em gânglios sensitivos ( contêm corpos celulares de neurônios sensitivos / aferentes , incluem os gânglios cranianos e os espinhais ) ou gânglios autônomos ( contêm corpos celulares de alguns neurônios eferentes do sistema nervoso autônomo ) .
1. Descrever a morfologia de um neurônio motor com todas suas partes e discutir seu funcionamento.
2. Qual a relação entre os diversos tipos de células da glia com os neurônios ?
3. O que são e como se organizam os nervos e os gânglios nervosos ?

Referências Bibliográficas :
CORMACK , David H. . FUNDAMENTOS DE HISTOLOGIA . Ed. Guanabara Koogan , RJ , 1996 .
CORMACK , David H . HAM HISTOLOGIA . 9ª edição . Ed. Guanabara Koogan , RJ , 1991 ..
JUNQUEIRA , L. C. ; CARNEIRO , José . HISTOLOGIA BÁSICA . 10ª edição . Ed. Guanabara Koogan , RJ ,
2004 . .
STEVENS , Alan ; LOWE , James . HISTOLOGIA . 1ª edição . Ed. Manole Ltda. , SP , 1995 .



Tecidos == Tecido Epitelial ==

Tecido Epitelial
1 . O tecido epitelial pavimentoso estratificado queratinizado é um tecido extremamente apropriado para proteger superfícies expostas ao ar continuamente . É um tecido resistente a atritos fortes , e a camada de queratina em sua superfície protege contra abrasão e infecção de microorganismos , além de resistir à perda e absorção de água .
A pele é constituída por uma camada desse epitélio ( a epiderme ) e uma camada subjacente de tecido conjuntivo ( a derme ) . O limite entre a epiderme e a derme não é regular , as duas camadas se ajustam entre si por meio de projeções da derme , as papilas dérmicas , e por fibrilas de ancoragem constituídas por colágeno tipo VII que se inserem na lâmina basal ( junção dermoepidérmica ) . A epiderme é desprovida de vasos sangüíneos , sendo então nutrida através de difusão a partir de capilares presentes no tecido conjuntivo subjacente . Essa nutrição se dá apenas nas camadas mais profundas da epiderme , as células mais externas , ao chegarem à superfície , já são " flocos " mortos de queratina .
2 . As glândulas sudoríparas são importantes na manutenção da temperatura corporal . Geralmente encontradas em toda a pele , são glândulas tubulares simples enoveladas . Possuem um ducto mais estreito que a sua porção secretora , não ramificado e levemente helicoidal , que se abre na superfície da pele . O suor secretado por essas glândulas é uma solução que contém sódio , potássio , cloreto , uréia , amônia , ácido úrico e proteínas em baixas concentrações , sendo que o sódio e o cloro secretados podem ser reabsorvidos pelas células dos ductos . O suor se evapora ao atingir a superfície da pele , fazendo baixar a temperatura corporal .
As glândulas sebáceas são responsáveis pela produção de sebo , um material composto por uma mistura complexa de lipídios , responsável pela manutenção da pele e dos pêlos macios , flexíveis e à prova d `água . Situadas na derme , são glândulas alveolares e geralmente vários alvéolos desembocam em um ducto curto . Os ductos podem se abrir diretamente na superfície da pele ou então desembocam na porção terminal dos folículos pilosos .

3 . As glândulas salivares são responsáveis pela secreção de saliva , que umedece e lubrifica a boca e os alimentos , destrói microorganismos patogênicos e iniciam a digestão de glicídios devido à ação enzimática da amilase salivar . São glândulas exócrinas pois são desenvolvidas como invaginações do epitélio de revestimento da cavidade oral e secretam para sua superfície através de ductos . As glândulas serosas produzem secreções aquosas que contêm enzimas , as mucosas secretam o muco glicoproteico viscoso , as mistas produzem ambos os tipos de secreção .
Além de pequenas glândulas salivares dispersas na mucosa da cavidade oral , existem ainda as glândulas exócrinas pares :
- parótida : glândulas tubuloalveolares compostas do tipo seroso , são as maiores glândulas salivares , seus ductos desembocam na superfície interna das bochechas ( na espécie humana , as células serosas contêm polissacarídeos neutros , razoável quantidade de RNA e grânulos de secreção ricos em amilase )
- submandibular : glândulas tubuloalveolares compostas do tipo misto , as unidades secretoras serosas são predominantes , sintetizam amilase , seus ductos se abrem no assoalho da cavidade oral posteriormente aos dentes incisivos
- sublingual : glândulas tubuloalveolares compostas do tipo misto , a maioria de suas unidades secretoras é mucosa , localizam - se bilateralmente sob a língua .
4 . O par de glândulas adrenais , também chamadas de supra - renais , localiza - se acima de cada rim . São glândulas achatadas e em forma de meia - lua revestidas por uma cápsula conjuntiva . São divididas em duas camadas concêntricas : uma periférica , a camada cortical ou córtex da adrenal , e uma central , a camada medular ou medula da adrenal . As duas camadas têm origens embrionárias , morfologia e funções diferentes :
- córtex : derivado do mesoderma , dividido em três zonas nomeadas de acordo com a disposição das células secretoras de hormônios . A zona logo abaixo da cápsula é denominada glomerulosa , a zona seguinte é chamada fasciculada , a zona mais interna do córtex é a reticulada . Secreta hormônios esteróides agrupados em três categorias : glicocorticóides , mineralocorticóides e andrógeno . Os hormônios não são armazenados , mas sim sintetizados e secretados de acordo com as necessidades .
- medula : originada a partir de células da crista neural , possui dois tipos de células secretoras : um deles produz adrenalina ; o outro , noradrenalina , ambas conhecidas como catecolaminas , substâncias mediadoras químicas do sistema nervoso simpático . Os produtos de secreção são acumulados e a liberação na circulação se dá separadamente , ou seja , cada hormônio é liberado isoladamente , levando a crer que ambos os tipos de células são inervados por diferentes grupos de fibras nervosas.
1. Descrever e discutir o epitélio pavimentoso estratificado queratinizado e sua relação com o tecido conjuntivo subjacente.
2. Explique a importância , a organização e o funcionamento das glândulas sudoríparas e sebáceas na pele.
3. Como se organizam as glândulas salivares e quais os produtos que secretam ? Por que são consideradas glândulas exócrinas ?
4. Explique a organização da glândula adrenal , suas regiões e suas funções.

Referências Bibliográficas :
CORMACK , David H. . FUNDAMENTOS DE HISTOLOGIA . Ed. Guanabara Koogan , RJ , 1996 . 341 p.
CORMACK , David H . HAM HISTOLOGIA . 9ª edição . Ed. Guanabara Koogan , RJ , 1991 . 570 p .
JUNQUEIRA , L. C. ; CARNEIRO , José . HISTOLOGIA BÁSICA . 9ª edição . Ed. Guanabara Koogan , RJ ,
1999 . 427 p.
STEVENS , Alan ; LOWE , James . HISTOLOGIA . 1ª edição . Ed. Manole Ltda. , SP , 1995 . 378 p.

Alterações Celulares

                                                                 
Capítulo das alterações celulares . . .
Alterações circulatórias

                                                         
Capítulo das alterações circulatórias...
Inflamação e reparo

                                                                                     
Inflamação e reparo...
Alterações do crescimento celular

                                                                                                   
Alterações do crescimento celular...



Webmaster
Malthus

Site de Apoio ao Processo Ensino Aprendizagem do
LOAFMEL
Laboratório de Odontologia e Antropologia Forenses e Medicina Legal
Faculdade de Medicina
Universidade de Brasília.

Coordenador: Professor Malthus Galvão
Este site é monitorado.

©Os direitos autorais deste Sítio são protegidos pela Lei 9610 de 19/02/1998. Todos os programas de computador, métodos e bancos de dados utilizados neste Sítio foram desenvolvidos pelo Prof. Malthus Galvão. O conteúdo é propriedade dos respectivos autores. Toda violação destes direitos de propriedade estará sujeita às penalidades prescritas em lei. Entretanto,Você pode utilizar o material, desde que siga à risca os termos da licença a seguir.

LOAFMEL - UnB by Malthus Fonseca Galvão is licensed under CC BY-NC-SA 4.0


Este sítio está em constante remodelação e pode conter erros!!!